Artigos

A cor do dinheiro: cruzados e moedas no mar Báltico do século XIII

A cor do dinheiro: cruzados e moedas no mar Báltico do século XIII

A cor do dinheiro: cruzados e moedas no mar Báltico do século XIII

Myrberg, Nanouschka

Estudos de Estocolmo em Arqueologia, 53, (2010)

Resumo

A colorida idade das trevas

Este artigo investiga como a cor era percebida de maneira diferente na Idade Média européia e carregava um significado além do que atribuímos hoje. Também considera como as várias cores funcionaram como importantes portadores de valores e conceitos neste contexto, onde os pigmentos eram raros e caros. Uma forma de acessar a compreensão medieval da cor é por meio da heráldica e de suas cores, as tinturas, que combinam materiais duros e macios, superfícies planas e tridimensionais, de forma que foge às definições atuais de cor. Os povos medievais usavam seus sentidos de forma intermodal para perceber a cor e conectá-la a um mundo intrincado de simbolismo e valores. Para eles, argumenta-se, a cor era uma textura tanto quanto um matiz. O objetivo do artigo é investigar essa relação entre cor, ideias e materialidade, filtrada pelos sentidos e manifestada em um conjunto de moedas escandinavas do século XIII.

  


Assista o vídeo: História das Moedas do Brasil. Nerdologia (Janeiro 2022).